Actividades

Acção de formação incentiva mineiros de Namuno a substituir o mercúrio por método mais seguro

Capacitar os mineiros na extracção do ouro com recurso ao borato de sódio (bórax) e supervisionar o uso desta técnica no terreno foi o objectivo da intervenção.

Esforços conjuntos procuram diminuir e/ou eliminar os canais clandestinos de venda ilegal de mercúrio o qual, de acordo com os mineiros, é trazido pelos compradores de ouro e que, como é sabido, é altamente prejudicial à saúde e ao meio ambiente.

Entre os dias 25 e 28 de Fevereiro, a ONG dinamarquesa "Diálogos" acompanhou a medicusmundi numa incursão ao terreno para efectuar o monitoramento do uso do borato de sódio (bórax) como método de extracção de ouro alternativo ao mercúrio. Recorde-se que esta é uma técnica na qual a medicusmundi, em parceria com o Centro Terra Viva (CTV), tem vindo a formar os mineiros dos distritos de Ancuabe, Montepuez e Namuno, em Cabo Delgado. O objectivo foi aferir o resultado desta iniciativa na actividade diária dos mineiros já formados e também realizar uma nova formação no distrito de Namuno, mais concretamente nas zonas de Nanlia e Waqueia. Participaram do processo formativo cerca de 40 mineiros, dos quais 20 são membros das 4 associações mineiras de Nanlia e Waqueia (Associações Nanlia, Waqueia, 3 de Fevereiro e 7 de Abril), e outros 20 são mineiros artesanais de ouro que não pertencem a qualquer associação mas que trabalham nas duas áreas designadas.

No âmbito da supervisão, o objectivo foi analisar o nível de conhecimento e disseminação do método gravitacional com recurso ao bórax, mas também perceber quais as expectativas e as dificuldades encontradas na implementação desta nova técnica de extracção, deixando espaço para algumas recomendações.

As acções de supervisão e formação tiveram lugar nos dias 25, 26 e 27 de Fevereiro, tendo o  dia 28 sido dedicado à realização de um encontro para balanço e reflexão sobre a mineração artesanal no distrito de Namuno. O encontro foi dirigido pela Exma Senhora Administradora do referido distrito e nele fizeram-se presentes os directores distritais da SDSMAS e SDAE,  técnicos do DDE, SDPI e PRM, investigadores do INS, NIOP e a ONG "Diálogos", além da medicusmundi e CTV. De entre vários aspectos em análise neste encontro, pode-se referir a questão dos esforços conjuntos para diminuir e/ou eliminar os canais clandestinos de venda ilegal de mercúrio o qual, de acordo com os mineiros, é trazido pelos compradores de ouro e que, como é sabido, é altamente prejudicial à saúde e ao meio ambiente. Como consequência, analisaram-se possíveis soluções para tornar o bórax um produto mais acessível e disponível a um preço justo, como forma de contribuir para o abandono do uso do mercúrio.

As actividades descritas integram-se no âmbito dos projectos “Mineração Artesanal: Direitos ambientais e culturais em Cabo Delgado”, financiado pela União Europeia, e “Redução do impacto negativo da mineração artesanal na saúde individual, comunitária e ambiental”, financiado pela Generalitat Valenciana.

Publicado a 13/03/2020

Outras actividades