Actividades

Campanhas de Sensibilização arrancam em Cabo Delgado

A acção irá decorrer ao longo de 16 meses e abrangerá 46.000 pessoas residentes nas zonas de mineração artesanal, nos distritos de Namuno, Montepuez e Ancuabe.

Direito à saúde , Mineração artesanal , Indústria criativa ao serviço da transformação social

Palestras, debates e peças de teatro são algumas das acções educativas que pretendem alertar para os riscos da actividade da mineração para a saúde e o meio ambiente. 

O início do mês de Julho foi marcado pelo arranque das Campanhas de Sensibilização Comunitária nos distritos de Namuno, Montepuez e Ancuabe, em Cabo Delgado. A acção enquadra-se no contexto do projecto “Mineração Artesanal: Direitos Ambientais e Culturais em Cabo Delgado”, financiado pela União Europeia e irá decorrer ao longo de 16 meses, em 36 comunidades contíguas às zonas de exploração. Estas campanhas destinam-se a toda a comunidade e pretendem complementar o amplo leque de actividades já desenvolvidas pelo projecto, tais como a assessoria legal (caracterizada pela realização de caravanas jurídicas comunitárias) e a formação na temática ambiental e de saúde aos principais grupos implicados no sector da mineração (nomeadamente autoridades locais, pessoal da saúde e trabalhadores das minas).  

Esta é mais uma iniciativa resultante da parceria entre a medicusmundi e o Centro Terra Viva, que se prevê atingir cerca de 46.000 pessoas. As acções de educação e sensibilização irão incluir palestras, debates e peças de teatro como forma de alertar para os riscos da actividade da mineração para a saúde e o meio ambiente. Em cada comunidade, as campanhas serão presididas pelos respectivos líderes comunitários, coadjuvados por paralegais. 

As aldeias de Waqueia e Mahossine, no distrito de Namuno, Namanhumbir, no distrito de Montepuez e Nacaca, no distrito de Ancuabe foram as escolhidas para receber o evento de lançamento destas importantes acções de sensibilização. Cerca de 400 pessoas, entre homens, mulheres, jovens e crianças juntaram-se, em cada comunidade, aos representantes dos governos distritais e autoridades comunitárias locais para assistir ao arranque das actividades. Nos encontros de lançamento houve oportunidade para conhecer o projecto, assistir a uma peça de teatro, participar numa palestra e visionar o documentário “A Febre do Ouro” que nos fala do inconciliável dilema entre a pobreza da população de Cabo Delgado e a riqueza do subsolo em zonas de mineração artesanal. Espaços de interacção com o público e concursos marcaram os intervalos entre os diferentes momentos.

Outras actividades